quinta-feira, 26 de março de 2009

História da família Guedes

Como fazer sua pesquisa genealógica

Pesquisar sua ascendência portuguesa exige, no mais das vezes, paciência e perseverança (virtudes das quais já quase não se tem notícia neste século XXI), além de muito trabalho e uma boa dose de sorte. O primeiro passo é descobrir de que Região, Província e cidade vieram os ancestrais imigrantes e esta, não é tarefa fácil.


Toda essa dificuldade deve-se à pobreza de documentação brasileira acerca do desembarque dessa humilde gente, e à precariedade com que foram lavrados os primeiros assentos de casamento e óbito dos aqui chegados jovens ou adultos, bem assim de nascimento e batismo de seus primeiros filhos aqui nascidos.

Nosso passado permaneceu resguardado na memória do homem mais extraordinário que eu conheço, meu avô Jasiel Guedes Pinto. Foi dele que partiram as informações iniciais dessa pesquisa. Nomes, sobrenomes, regiões, datas. Não poderia deixar de agradecer também ao memorialista de Cisneiros Joaquim Machado. Este homem obstinado conseguiu resgatar a história de Palma e região. Com um trabalho pioneiro, esse verdadeiro desbravador do passado revirou caixas de papelão empoeiradas e esquecidas, coletou e anotou detalhes de diversos moradores da cidade. Graças a este “Gilberto Freyre da Zona da Mata” eu pude remontar boa parte da árvore genealógica de forma precisa.

1) Em você, (2) Em sua própria família (3) Nas cidades onde seus ancestrais residiram: Cartórios de registro civil, registros de batismo, casamento nas casas paroquiais etc..

Começando por você - Lembre-se de que em sua certidão de nascimento estão mencionados os nomes de seus quatro avós. Na de seus pais, também vêm indicados os avós deles. Por óbvio, tendo à mão a certidão de nascimento de seu pai, por exemplo, saberá de imediato o nome de seus bisavós. E se conseguir a certidão de nascimento de seu avô paterno, nascido no Brasil, terá o nome dos avós dele, seus trisavós. Somente com esses documentos você já terá uma árvore genealógica considerável (cinco gerações contando você).

Sua família - Procure conversar com os parentes mais idosos e anote tudo quanto puderem contar sobre a história da família. Não menospreze nenhuma informação ou reminiscência; tome todo e qualquer dado como provável indício, que somado a outros poderá montar o quebra-cabeça da origem.
Cidades onde moraram seus ascendentes - Minha experiência pessoal diz que esta é a melhor fonte de pesquisa, principalmente nos livros de assentos de casamentos religiosos e batismos. A explicação lógica vem dos seguintes fatos:
Grande parcela dos imigrantes era composta por casais jovens, com filhos pequenos e disposição para o aumento da prole, sobretudo porque, além da tendência natural à procriação em situações de isolamento, partiam do pressuposto de que quanto mais braços houvesse para o trabalho, mais fácil seria a sobrevivência da família. Guardavam, de outra sorte, uma forte religiosidade e bem por isso eram incapazes de mentir ao padre sobre a localidade em que batizados, no caso de declarações para o casamento dos jovens, ou mesmo para o batizado dos muitos filhos aqui nascidos. Lembre-se de que a Igreja Católica Apostólica Romana sempre impôs, como condição para a realização do casamento, o batismo prévio dos noivos, condição que se estende também para o batismo de seus filhos (só poderiam levar os filhos à pia batismal aqueles que tivessem sido batizados.
Assim, os livros das Igrejas são, com certeza, uma excelente fonte de informação, ainda que os assentos venham a indicar apenas, por exemplo, que o noivo imigrante foi batizado no "Bispado de Braga". Tal informação já delimitaria a busca às cidades que compõem a Província de Braga, sem contar que, com alguma sorte, se poderá, escrevendo ao respectivo "Arquivo de Estado", obter os documentos.
Não se contente em obter uma certidão de casamento ou batizado. Peça uma cópia da folha do livro em que lançado o assento. Se não for possível peça para ver o livro e, no caso de casamento, peça cópia do processo de habilitação, de extrema utilidade porque nele ficavam arquivadas cópias de documentos apresentados pelos noivos, até mesmo justificações testemunhais.

História da família Guedes


A história da família do meu avô materno se mescla com a fundação de uma cidade: Cisneiros. Até a segunda metade do século XIX esse povoado nem sequer existia. Sua origem, remonta ao dia 18 de setembro de 1876 quando o Dr. Bernardo Cysneiro da Costa Reis, em sociedade com o Major José da Costa Mattos, meu tetravô, compraram diversas propriedades que viriam mais tarde a se transformar na Fazenda Aliança e por fim no Distrito de Cisneiros.

Quando foi inaugurada a estação de trem em 11 de maio de 1883 a povoação de Cisneiros era insignificante. Como o distrito de Itapiruçú ficava da outra margem do rio e era mais evoluído, a Estrada de Ferro Leopoldina optou por colocar o nome desta estação de Tapirussú e ficou registrado desta maneira por alguns anos até a elevação do pequeno distrito fundado por meu tetravô com o nome de Aliança (Pelo decreto Nº 87 de 02 de junho de 1890 é criado o distrito) e mais tarde, em 1892 o nome foi mudado de Aliança para Cisneiros (em homenagem ao médico, sócio de José da Costa Mattos). Segue-se abaixo as datas e as mudanças da nomenclatura do distrito:

  • De 1874 a 1883 - Arraial Novo
  • De 1883 a 1890 - Estação do Tapiruss
  • De 1890 a 1892 - Aliança
  • De 1892 em diante - Cisneiros
O Major José da Costa Mattos, sendo sócio e gerente da fazenda Aliança, vendeu muitos lotes em volta da estação de trem, permitindo assim o aumento do povoado. O loteamento foi feito de uma parte da propriedade. Os cafezais iam da sede da fazenda até a sede de distrito que ficava por volta de 3,5 quilômetros, próximos a estação. A fazenda com seus dez quilômetros de plantação de café chegou a ser a maior produtora do município de Palma.

Fico imaginando que homem obstinado era meu tetravô José da Costa Mattos. Como administrador da fazenda, ele foi o responsável pelo crescimento e organização da cidade. Uma cidade que literalmente começou do nada, no meio de uma pastagem. Ele cuidou da divisão dos lotes, construção de pontes, fundação de escolas, traçados das ruas. Desempenhou concomitantemente a função de Major da Guarda Nacional, administrador da fazenda Aliança e do município que se formava além de subdelegado. Tudo ficou por sua responsabilidade.
Seus descendentes também foram importantes para o crescimento e ampliação da cidade. Seu genro, Major João Guedes Pinto casou-se com uma de suas filhas: Dona Dejanira de Mattos Guedes Pinto. Juntos, participaram da comissão para construção da igreja Imaculada Conceição. Doaram o terreno onde ela encontra-se construída.

O imigrante português João Guedes Pinto (meu trisavô) nasceu aproximadamente por volta de 1847 na região do “Entre Douro e Minho”. Ao imigrar para o Brasil, tornou-se Major da Guarda Nacional. Este fato mostra que ele não foi um imigrante português ordinário, como os vários que chegavam aos portos do país. Os membros da Guarda eram recrutados somente entre os cidadãos com renda anual superior a 200 mil réis nas grandes cidades, e 100 mil réis nas demais regiões. Esse título significava autorização do poder central ao chefe local para que este possuísse ‘gente armada’ a seu serviço. Para conseguir tal honraria o indivíduo deveria obviamente gozar de boa posição social. Desta forma, distribuíam-se as patentes de acordo com o poder e influência do aspirante: coronel, tenente-coronel, major, capitão e tenente.

Tendo ele comprado uma patente média acredito que sua família em Portugal dispunha de recursos consideráveis. A maioria dos imigrantes portugueses que chegaram durante o século XIX eram extremamente pobres e sem escolaridade, vindos de aldeias do interior de Portugal.
Os imigrantes pobres são retratados por um escritor da década de 1820, Raimundo da Cunha Mattos. Diz ele que o português pobre, ao desembarcar nos portos brasileiros, vestia polaina de saragoça, (...) e calção, colete de baetão encarnado com seus corações e meia (...) geralmente desembarcavam dos navios com um pau às costas, duas réstia de cebolas, e outras tantas de alhos... e ... uma trouxinha de pano de linho debaixo do braço. Eram minhotos que, para sobreviver, dormiam na rua e procuravam ajuda de instituições de caridade.
Este, no entanto, não era o caso de João Guedes Pinto. É um mistério ainda a ser desvendado sua imigração para o Brasil. Segundo meu avô, ele veio ao Brasil com um irmão mais velho. Este era o responsável pela correspondência com a família em Portugal. Ele faleceu cedo não deixando descendentes. O contato então foi perdido.
Além disso, o Major João Guedes Pinto, assim como seu sogro desempenhou a função de subdelegado. Apenas para ter uma idéia das situações cotidianas de um subdelegado reproduzirei aqui relato engraçado de Joaquim Machado acerca de um documento arquivado no cartório de Cisneiros. Nele, o subdelegado João Guedes Pinto (meu trisavô):

“...mandou proceder um exame de corpo de delito em Eloy Teixeira, negro, procedente de São Fidélis e que no trecho da estação de Cisneiros-Palma, caiu do trem e apresentava ferimentos por todo o corpo. O exame foi realizado pelo Capitão João Antonio da Costa Coimbra e por Oscar Tavares Nepomuceno “na caza da cadeira onde está o ferido”. Serviram de testemunhas Sebastião Soares Mendonça e José Vieira. O negro ferido Eloy Teixeira confessou que estava alcoolizado, entendeu por viajar na plataforma do trem e que num vai-vem caiu e não atribuiu a ninguém a autoria do desastre.”

Seus descendentes também participaram do crescimento da cidade. João Guedes Pinto e Dejanira Mattos Guedes Pinto tiveram 12 filhos com os seguintes nomes: Albucassio, Admár, Alice, Olymtho, Idelfonso (meu bisavô), Oscar, Dejanira, Odette, Maria, João, José e Adahyl. Fatidicamente o major faleceu no dia 02/11/1922 e o atestado de óbito assinado pelo doutor Ignacio Amorim de Antuterpio apontou a causa da morte por lesão cardíaca. Muitos descendentes do Major João Guedes Pinto moram em Cisneiros e região.

Este, no entanto não foi o destino de meu bisavô Idelfonso Guedes Pinto. Ele tornou-se ferroviário da Leopoldina Railway Company. O sistema dessa companhia chegou a compreender, em seu auge, mais de 3.200 quilômetros de trilhos, incluindo cremalheiras nos trechos mais acentuados da Serra do Mar. Abrangiam principalmente Rio de Janeiro e Zona da Mata Mineira.
O distrito de Cisneiros, ao centro dessa malha ferroviária, assim como toda a região de Palma encontrava-se em amplo crescimento. Apoiado principalmente na economia cafeeira o município de Palma chegou a contar com 30 mil habitantes na década de 1920. A fundação do armazém de café de Cisneiros vinha a confirmar essa tendência até que em meados dos anos 20 foram pegos de surpresa pela quebra da Bolsa de Nova Iorque.
O preço do principal produto de exportação brasileiro despencou. A economia da região apoiada principalmente na exploração do grão amargou por tristes períodos. O armazém de Cisneiros tinha sido inaugurado a poucos meses antes da crise. Logo em seguida, o presidente Getúlio Vargas numa ação para tentar recuperar o preço, mandou queimas milhões e milhões de sacas. Isso aconteceu no armazém regulador da cidade. Onde atualmente encontra-se um campo de futebol, próximo a Ponte de Ferro, vagões despejavam o café que foi queimado por meses seguidos cobrindo Cisneiros com a espessa nuvem da decadência.

De acordo com o memorialista Joaquim Machado pouco antes da crise:

“Cisneiros teve uma vida próspera com boas escolas, hotéis, moinhos, farmácias, bandas de música e estação ferroviária que ligava a diversas cidades da região e até mesmo o Rio de Janeiro. Recebiam diariamente mercadorias de vários lugares e eram bem informados pelos jornais da região e da capital. A sua política bastante atuante, tendo como figura principal o Coronel Costa Mattos (irmão do Major José da Costa Mattos fundador do distrito)”.

Após a crise muitos produtores de café quebraram.Desde então a economia de Cisneiros entrou em decadência. O café foi substituído pela pecuária leiteira e de corte. Esta economia de subsistência não era o bastante para assegurar o crescimento. Na cidade o desemprego assolava as famílias obrigando muitas delas a abandonarem a região.
Segundo Joaquim Machado: “Isto explica o fato de que nos anos 20 Palma chegou a possuir 30.000 habitantes e hoje, apenas 6.000. Sem um produto que gere riqueza, com o passar dos anos, a tendência é a cidade ou local perder a importância”.

Acredito que foi nessa época que meu bisavô abandonou a região. Continuando como funcionário da Leopoldina Railway Company. Passou por Manhuaçu, Leopoldina e Patrocínio do Muriaé.

Meu avô conta que uma de suas irmãs nasceu ainda em Cisneiros. Jasiel Guedes Pinto, nascido em Leopoldina-MG mudou-se junto com a família para Patrocínio do Muriaé. Conta ele que os cachorros de seu avô, o imigrante português João Guedes Pinto chamavam-se Douro e Minho. Um outro detalhe interessante é que, seu pai Idelfonso sempre que os filhos chegavam aos 18 anos ele os presenteava com um relógio omega e um revólver, no caso o do meu avô um Schmidt West calibre 38. Dizia ele:

“o relógio é pra você saber a hora certa dos seus compromissos, honrá-los, e o revólver pra que ninguém te desacate, se estiver sem razão, mesmo que seja uma criança, abaixe a cabeça e vá embora, mas se te ofenderem, não carregue peso a toa não!”

Em Patrocínio do Muriaé ele trabalhou em uma propriedade da família. Conta ele que obtinha renda maior do que seus irmãos ferroviários com o leite, que era vendido de casa em casa e lenha. Mais tarde casou-se com Maria Helena Coutinho Guedes e junto com seu sogro, o sr. Coutinho abriu um armazém na cidade.

Por volta da década de 1950 Jasiel ingressou no serviço público pela fazenda do Estado.Durante esse período no qual continuou residindo em Patrocínio do Muriaé foi vereador da cidade diversas vezes pela UDN. Apaixonado pelo Botafogo ia diversas vezes ao Maracanã acompanhar os jogos magistralmente orquestrados pelas pernas tortas de Mané Garrincha.

Com a extinção das pagadorias no interior, mudou-se com a família para Muriaé e mais tarde para Juiz de Fora-MG onde então passou a residir criando vínculos e amizades que duram até os dias de atuais.

Pesquisa realizada por Igor Guedes de Carvalho bacharel em História pela Universidade Federal de Ouro Preto.

80 comentários:

  1. Igor, tive um amigo chamado Williams Guedes de Azevedo, já falecido. Com ele, conheci a pacata e deliciosa Cisneiros e alguns de seus parentes já idosos, dos quais, infelizmente, já não me lembro os nomes.

    Também conheci o açougue da cidade, de onde ele sempre trazia para o Rio dezenas de quilos de carne, para memoráveis churrascos.

    Um detalhe bobo: a marca do revólver que você cita, salvo engano, é, na verdade, a "Smith & Wesson", uma das mais tradicionais indústrias de armas norte-americanas.

    Parabéns pela pesquisa.


    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. - Muito interessante essa pesquisa
    visitei esse blog por acaso.. mas tentando buscar algo sobre a origem do meu sobrenome, pq tbm sou guedes..embora eu seja carioca !
    deixo aqui meus parabéns pela pesquisa !

    ResponderExcluir
  3. Nossa pesquisa muito interessante, passei aqui apenas enquanto procurava um pouco mais sobre meu sobrenome Guedes Pinto, e me deliciei lendo sua pesquisa.
    Parabéns..

    ResponderExcluir
  4. igor sou da familha guedes pinto meus bizavos sao de valadares e lima duarte meu bi materno era farmaceutico em valadares parabems

    ResponderExcluir
  5. Olá Igor...muito interessante a sua pesquisa. Há algum tempo tento descobrir algo mais sobre a minha família. Sou neta de Nicomedes Guedes Vieira, filho de Fransciso Guedes Vieira de Diamantina-MG, meu avô trabalhava com garimpo...meus tataravós tinham alguma relação com a família Maia...e Damazo, mas gostaria de ter mais informações de onde veio o Guedes. Segundo meu avô existiu um tio em Data_MG,, José Joaquim Guedes. Será que se juntássemos nossa informações, descobriríamos algo mais?.

    ResponderExcluir
  6. ótima pesquisa, ameeei*-*
    eu tbm sou GUEDES, porém nasci em porto velho, mais meu vó já falescido era de Minas Gerais,
    Natanael Oliveira Guedes.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. O meu pai não tem o sobrenome de minha vó,meu pai era teixeira guedes ...minha vó...era monteiro... mas o papai só tem o nome do pai,dai eu busquei José Teixeira Guedes e
    encontrei jose filipe teixeira guedes ..da familia teixeira guedes..mas o guedes fora inventado por ele como apelido dai veio o nome guedes...jose Augusto teixeira foi o primeiro e unico visconde de teixeira guedes e filipe jose teixeira guedes de 1806 a 1860 -odiovelas-2002 a palavra guedes foi um apelido colocdao no jose ...dai os proximos filhos netos foram colocados o sobrenome de (GUEDES)

    ResponderExcluir
  8. eu entrei para saber sobre meu sobrenome guedes, mais ñ encontrei ainda o q procuro meu pai tem esse sobrenome (guedes)mais ele e da paraíba como pode eu sou carioca minha mãe e do norte também, queria saber como surgiu esse sobrenome na minha fámilia porque ñ conhecia nehum avos meus. obrigado mais adorei sua matéria bjos roberta vieira guedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola BETA.meu nome é Samuel Guedes de Souza(SP),meu pai Moisés Guedes de Souza ,ele nasceu em Crato(Ceara).Meu tio avo chamava-se Luiz Antonio Guedes(CE),disse-me meu tio uma vês que nossa família teria vindo de Portugal a 400 anos ,aportando em cais do nordeste.

      Excluir
  9. Olá! Muito boa a pesquisa sobre a família GUEDES, sou do Estado do Amapá, meu avô falecido era Manoel Guedes Filho....vou pesquisa algo mais aí entro em contato novamente..parabéns!!!

    ResponderExcluir
  10. Sou dos Guedes do Sul do Ceará,mais precisamente de Vila Brejinho, distrito de Araripe-Ce onde meu avó Luiz Guedes Alcoforado, constituiu a família dos Guedes do Cariri, Potengi, Araripe, Crato e outras cidades dessa região.
    É uma família grande com descendentes em todo o Brasil. Tenho 7 irmãos, dos quais 6 vivem em capitais diferentes do Brasil, Nordeste, Sudeste e Centro Oeste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber da presença dos Guedes Alcoforado no Sul do Ceará. Sou de Belém. situado na Paraíba, onde tem um tronco dos Guedes Alcoforado que transmite aos descendentes o sobrenome composto e considera-se um desdobramento dos Guedes Alcoforado de Olinda-PE, onde pelo me consta aportaram os primeiros Guedes Alcoforado. Em Olinda a família Guedes Alcoforado é a responsável por um dos cinco Oratórios públicos da cidade, o que é um registro da sua presença já nas origens da Cidade.

      Excluir
    2. Ola sou Samuel Guedes de Souza.Meu pais e meus avós eram da mesma região.Meu tio avo Luis Antonio guedes irmão da minha avó apelidada de tia loura,em conversa de família disse que nossa família havia vindo de Portugal a 400 anos .E instalando-se justamente nesta região.Meu tio Adriano Guedes foi prefeito de Crato(CE)

      Excluir
  11. Procuro uma vilha que nascen no Rio de Janeiro de 1979, depois que retornei ao Nordeste para trabalhar e não tive mais contato com a Mãe que era de Minas Gerais e com quem namorava à época.
    Deve ter hj 31 anos. Não sei como está e isso agora me apavora. Não lembro mais o nome da mãe.
    Desejo encontrá-la.

    ResponderExcluir
  12. Minha Sogra Iolanda Guedes de Sousa filha de Raimundo Guedes Amorim (Cheiroso) e Maria Maciel Guedes Amorim, procura descendentes que Viviam em Crato, Poteni,Cariri,de onde seus pais nasceram. Qualquer informação, favor enviar email p/ eliene.m.arantes@gmail.com.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou Samuel Guedes de Souza,filho de Moisés Guedes de Souza(Crato-CE),sobrinho de Adriano Guedes(Crato-CE)

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. ola eu mim chamo jocelio gudes mim sinto horado
    fazer parte dessa familia.

    ResponderExcluir
  16. Poxa por incrivel que pareça sou GUEDES,por parte de minha mae,que se chamava Neuza Guedes nunes o Guedes dela era por parte da sua mae minha vo,Antonia guedes sarafim barbosa,eles vieram do ceara mas precisamente do araripe,potengi fugindo de uma grande seca que houve por lá..um usuario ai em cima falou,em um nome que sempre ouvi falar na casa de minha sobre uma irma dela que morava em potengi ou arraripe holanda....e seu marido chamada zeca miniz acho que era mais ou menos assim...

    ResponderExcluir
  17. Igor,
    ao pesquisar sobre Dr. Igancio de Amorim Antuterpio, encontrei se bolg. Gostaria de lhe propor uma visita ao betometr.blogspot.com. minha primeira postagem é uma monografia feita por um coletor estadual que trabalhou em Palma nos anos 1950. o trabalho foi pulicado no jornal "A Defesa" de palma, em capítulos. Consegui recuperar as edições e digitei o trabalho. Acho que é do seu interesse.
    um abraço
    beto metri

    ResponderExcluir
  18. Olá! Sou GUEDES da região do baixo jaguaribe da cidade de Russas-CE. Parabéns pela pesquisa!
    Sharbey Guedes

    ResponderExcluir
  19. tambem como todos entrei por acaso nesse blog,por curiosidade pois meu sobrenome tambem e guedes,sandra regina batista guedes,que veio do meu pai que e jose luiz guedes de menezes,que por sua vez veio do meu avo que e jose bispo guedes,somos todos de sao francisco(mg),queria muito encontrar parentescos por esse mundo de deus,adorei sua pesquiza,parabens,sandra contagem(mg)

    ResponderExcluir
  20. Sou tbém da família Guedes moro em Juiz de Fora, e estou interessado em levantar dados dos patricios a um bom tempo, aqui na cidade vizinha Lima Duarte, constam alguns registros no cartório, voua começar por eles qualquer informação poderei disponibilizá-las se for do seu interesse. A respeito de sua pesquisa,Igor, gostei muito e aguçou a vontade de continuar a saber a nossa origem, e como tem gente espalhada por esse Brasil.
    Tadeu Guedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tadeu, talvez nossas famílias tenham algum grau de parentesco! Boa sorte nas pesquisas!

      Excluir
    2. Olá Sousa da família Guedes de Teófilo Otoni MG , adorei saber a origem do nome Guedes.

      Excluir
  21. Legal essa pesquisa, tira muitas duvidas a respeito da origem guedes, como sou da familia Filgueiras tambem descendes de portugueses e ainda melhor Guedes..

    ResponderExcluir
  22. Olá Ígor , também sou da FAMÍLIA GUEDES , de MIRADOURO-MG, gostei muito dessa sua pesquisa , estava procurando origem da FAMÍLIA GUEDES , parabéns !!! Vou continuar procurando mais pesquisas . vlw ... Ronie guedes de Morais

    ResponderExcluir
  23. OI, meu avô se chamava João Guedes de Carvalho, e o pai dele José Guedes de Carvalho, mais nós somos aqui de curitiba, gostaria de saber a origem da familia guedes de carvalho, abraços te mais

    ResponderExcluir
  24. Sou Francisco Batista Maciel e descendo de um galho da árvore genealógica dos GUEDES da região de Ibiapaba, no Ceará. Sei ainda bem pouco de meus antepassados por aqui, mas seus estudos me deixaram bastante animado para prosseguir numa investigacão. Parabéns pela sua competente paciência. É realmente um trabalho admirável.

    ResponderExcluir
  25. Olá, parabéns pela pesquisa, sou Guedes de Datas-MG, Meu Bisavô se chamava Augusto Guedes e pode ter alguma relação com a familia da Katia que comentou ai em cima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá voltei a procurar isso após anos. Por coincidência terei uma bebê que será Laura, com isso um familiaR me disse que minha tataravo era Laura Dâmaso de Datas.Provavelmente ela casou-se com um Guedes. Meu avô e vivo. Sua mãe era Isaura Guedes.

      Excluir
  26. Parabéns Ígor, também sou descendente, entretanto, Guedes de Sousa. Fiquei encantado com a sua pesquisa. Hoje percebo a falta que me faz a minha bisavó e minhas tias, que as conheci ainda pequenino. Perdi também precocemente os meus avós maternos e paternos. Nem imaginava que pudesse conhecer a história da nossa família. Com o incentivo do seu trabalho de pesquisa, acredito que poderei, através de algumas tias, revivar a nossa origem.
    Grato!
    Parabéns!

    Denilson Guedes

    ResponderExcluir
  27. SOU GUEDES DA BAHIA

    SIMARA GUEDES

    ResponderExcluir
  28. sou guedes de pernambuco meu pai e jose guedes da cruz

    ResponderExcluir
  29. Tambem sou Guedes da cidade de Agua Boa MG hoje moro em Belo Horizonte

    ResponderExcluir
  30. procuro Antonio Guedes connhecido como (toninho)da cidade de Agua Boa MG OU Capelinha

    ResponderExcluir
  31. Bom dia.
    Em primeiro lugar quero parabenizá-lo pela pesquisa sobre a Família Guedes.
    Meu nome é Wanderson Estevão Sousa Guedes,filho de Vitor Estevão Guedes e Maria das Graças Sousa Guedes.
    Atualmente moro em Cotia SP, e meus pais e familiares moram em Itamogi MG.
    Temos uma familia grande, e o sobrenome Guedes vem do meu avô pai do meu pai.
    Fiquei muito feliz em conhecer um pouco sobre nossa origem e descendência.
    Abraços a todos os Guedes existentes.

    ResponderExcluir
  32. Estou fazendo a genealogia dos Guedes de Moraes da regiao de São Francisco do Gloria - Alvorada, Minas Gerais. Gostaria de Entrar em contato com o Ronie Guedes de Morais (Miradouro)e Sandra Regina Batista Guedes que acredito ter algum parentesco comigo. Paulo Pinheiro. Pinheiro@demec.ufmg.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá eu Sou Wesley Guedes de Moraes, também de Miradouro e sou primo do Ronie, vamos ter um encontro de família aqui no Rio em Março de 2013. Temos parte da história de nosso avô que veio de Portugal e a avô da Itália. Nossa cidade começou com os Guedes de Moraes, 3 irmãos que doaram parte da fazenda para a Igreja Católica. Estou indo em Portugal e vou buscar nossa história também. valeu: wesleyuai@gmail.com

      Excluir
    2. Meu bisavô era Antônio guedes, veio num navio de portugal e chegando em santos, sp, conheceu minha bisavó, Maria, que era Italiana. Vieram tendo seus filhos e moraram em Santos, Além Paraíba, Muriaé, Miradouro e no fim da vida no Córrego dos Gomes num distrito de Miradou, chamado Varginha. Lá tiveram filhos, Theodoro, João guedes, Antônio Guedes. Outros decendentes dos guedes chegaram tb depois de 1850 na região mas eram donos de fazendas, que mais tarde doaram para a igreja Católica. Os 3 irmãos Guedes de Moraes deixaram muitos descendentes, filhos, netos,... Sei que hoje em dia o azeite galo é produzido pelos Guedes em Portugal. muito legal,

      Excluir
  33. parabens pela pesquisa sou da familia pessanha guedes e adorei saber um pouco da familia do meu pai ja falecido aos 51 anos que pertenceu a familia batista guedes vindo da paraiba.se vc tiver o brasão dos guedes e queiser compartilhar comigo mande pro email jpguedes@oi.com.br obrigado

    ResponderExcluir
  34. Olá pessoal, tive curiosidade, também de saber qual a origem da família guedes. O curioso que existe descendente de guedes em todo Brasil. Por exemplo: sou Alberto Guedes de Manaus Amazonas.

    ResponderExcluir
  35. Sou filha de Ary Guedes Pinto de Muriaé ,talvez sejamos parentes

    ResponderExcluir
  36. Igor, meu nome é Rodiney e em uma conversa com minha avó hoje ela disse que era filha de um Guedes só que ela nao chegou a conhecer devido aos seus pais(meus bisavos) terem se separado ainda na sua infancia, gostaria da sua ajuda para poder saber como descobrir se esse Guedes deixou mais algum filho?
    o nome do Pai da minha avó era Amelio Guedes a unica coisa que ela soube me informar é que ele tinha um irmão Chamado João Guedes.

    meu email pra contato é rodinex@hotmail.com

    desde ja agradeço

    ResponderExcluir
  37. BOM DIA PESSOAL EIS AQUI MAIS UM GUEDES PERDIDO MEU PAI CHAMAVA SE ANTOHIO JACINTO GUEDES MEUS AVOS JOSE JACINTO GUEDES E MARIA CANUTA DA SILVA TDS DE CAMPO BELO SAO JOAO DEL REI EM MINAS GERAIS ABRAÇO A TDS IVAN FERNANDES GUEDES

    ResponderExcluir
  38. BOM DIA PESSOAL EIS AQUI MAIS UM GUEDES PERDIDO MEU PAI CHAMAVA SE ANTOHIO JACINTO GUEDES MEUS AVOS JOSE JACINTO GUEDES E MARIA CANUTA DA SILVA TDS DE CAMPO BELO SAO JOAO DEL REI EM MINAS GERAIS ABRAÇO A TDS IVAN FERNANDES GUEDES

    ResponderExcluir
  39. Antonio Carlos de Queiroz
    Estou a procura dos meus bisas sao de Santa Catarina Laura Pereira Guedes e Oscar Fernandes Guedes / João Vieira de Queiroz e Carlota Guedes de Queiroz. Pelo que sei sao portugueses e Espanhóis, estou a procura das certidoes de nascimento e casamento ou obito. Caso tenha alguma noticia por favor me escreva. antoniocqueiroz@hotmail.com

    ResponderExcluir
  40. muinto interressante essa pesquisa....tbm tenho guedes na familia que reside no norte de minas,nas cidades de januaria,bonito de minas e conêgo marinho,parabens pela poesquisa....

    ResponderExcluir
  41. ola sou da familia GUEDES COSTA no qual seria 2 nomes portugueses,queria saber mas sobre GUEDES COSTA se acaso alguem da familia leia essa mensagen entre em contato alle_guedes@hotmail.it atualmente moro na italia mas minha familia è do Espirito Santo.


    parabens Igor bela pesquisa.

    ResponderExcluir
  42. olá pessoal,também sou da família guedes , meu nome é jefferson guedes de amorim. meu pai Manoel guedes de amorim. estou tentando conhecer mais do nosso passado familiar de onde vemos,região etc.
    email jeffersonae@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  43. OLá! Segundo a minha mãe, seu avô chamava-se Antônio Guedes e trabalhava num alambique em Muriaé. Ela não soube dizer se ele era o proprietário ou empregado. Porém, a sua esposa foi levada para o Rio por uma das filhas (minha avó) que chama-se Francisca Araújo. Minha mãe não sabe dizer pq as filhas receberam o sobrenome diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nane, acho que somos parentes,

      Temos parte da história de nosso avô que veio de Portugal e a avô da Itália. Nossa cidade começou com os Guedes de Moraes, 3 irmãos que doaram parte da fazenda para a Igreja Católica. Estou indo em Portugal e vou buscar nossa história também. valeu: wesleyuai@gmail.com

      Meu bisavô era Antônio guedes, veio num navio de portugal e chegando em santos, sp, conheceu minha bisavó, Maria, que era Italiana. Vieram tendo seus filhos e moraram em Santos, Além Paraíba, Muriaé, Miradouro e no fim da vida no Córrego dos Gomes num distrito de Miradou, chamado Varginha. Lá tiveram filhos, Theodoro, João guedes, Antônio Guedes. Outros decendentes dos guedes chegaram tb depois de 1850 na região mas eram donos de fazendas, que mais tarde doaram para a igreja Católica. Os 3 irmãos Guedes de Moraes deixaram muitos descendentes, filhos, netos,... Sei que hoje em dia o azeite galo é produzido pelos Guedes em Portugal. muito legal,

      Excluir
  44. Olá Igor,

    Meu nome é Josué Geraldo Guedes Pinto, sou filho de Josué Guedes Pinto, neto de José Guedes Pinto e bisneto de João Guedes Pinto e Dejanira Mattos Guedes Pinto.

    Moro em Brasília e estou vendo neste momento seu blog, juntamente com meu pai. Gostamos muito de ler seu blog e a história que você relatou sobre a família. Parabéns! realmente, muito bom.

    Só um detalhe que gostaríamos de registrar: na relação de filhos de JOÃO GUEDES PINTO e DEJANIRA MATTOS GUEDES PINTO, faltou a Natail. Outro detalhe é que o primeiro filho chamava-se Albucassis.

    Parabéns mais uma vez. Grande abraço,

    Josué Geraldo e Josué Guedes Pinto

    ResponderExcluir
  45. Olá, Igor! Parabéns pela iniciativa.
    Achei muito curioso que uma das descendentes tenha o mesmo sobrenome meu: COUTINHO GUEDES. Sou da Bahia.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  46. kkk sera q somos parentes kk meu nome é Higor Guedes RJ

    ResponderExcluir
  47. Meu nome é Maria Aparecida de Mattos Guedes, minha familia é do sul de Minas e os Mattos e os Guedes sao primos e se casaram ate a decada de 70 entre sim, existe uma ramificação que foi para bahia, porem os guedes e os mattos vieram de portugal nao sao pobres e investiram em gdes terras no sul de minas, tem tradiçao e agora esta espalhados para o brasil, lembre-se q muitos adotaram o sobrenome guedes por serem de familia rica e tinhas gdes posses e escravos parte negra da familia, espero ter ajudado...sorte a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hortencia lucema , vc menciona que do sul de minas onde exatamente pois minha familia somos Garcia guedes, região sul mineira, Paraisopolis, cambui ,corrego do bom jesus, Itapeva , fiquei curioso sera que temos algum parentesco

      Excluir
  48. Sou da família Cordeiro Guedes de Capelinha - MG.

    ResponderExcluir
  49. Meu pai se chamava Reginaldo Guedes da Silva nascido em 1923 no interior da BAHIA, filho de Plinio e Maria... não sei muito. Ele contava que tinha uma irmã que se chamava Nita, Ernestino, Antonio e outro que não lembro o nome... O interior se chamava Santa Luzia ou era Santa Luz - Ba. Não intendo muito o que aconteceu só que ele contou uma historia sobre uma Familia chamada Ferreira de Miranda desta mesma região. Quem solber algum deixe uma mensagem.

    ResponderExcluir
  50. Meu nome é Maurício Guedes e sou do Rio Grande do Sul, minha família é de cidades próximas a São Gabriel, São Sepé e Caçapava do Sul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tania Queiroz29 de dezembro de 2015 17:20
      Boa noite Mauricio, meu marido e Guedes por parte do pai Carlos Guedes de Queirós, país Antônio Guedes de Queiroz e minervinda Guedes de Queirós, avós Laura Pereira e Oscar Fernandes Guedes eles eram do RS e depois foram para Santa Catarina. Caso queira falar com nós. taniavetter@gmail.com e antoniocqueiroz@hotmail.com

      ResponderExcluir

      Excluir
  51. Olá a todos descendentes da família Guedes, Sou Marcondes Guedes da silva filho de Adelson Guedes da Silva, neto de Antônio Guedes Da Silva moro em Crato CE, por aqui temos muitos parentes e até arrisco em afirmar que alguns de vocês que procuram descendentes nesse município talvez seja conhecido de alguém da minha família. Seria um privilégio encontrar pessoas que contem traços biológicos, quem ler e ficar interessado se possível pode me contactar pelo E-mail: guedesmarcondes@gmail.com

    ResponderExcluir
  52. olá o meu tataravô tem o nome de Joaquim Guedes da Silva

    ResponderExcluir
  53. Olá pessoal! Vamos relembrar a belissima história da família Guedes. Sou de Juiz d Fora, meu pai, José Corrêa Geueds nascido em Rosário de Minas/MG, próximo a Valladares (muito conhecido nos bairros Bom Pastor e Alto dos Passos), filho de Cândido Moreira Guedes, ambos comerciantes. Alguém conhece?

    ResponderExcluir
  54. https://www.facebook.com/groups/386515321530008/?pnref=story

    ResponderExcluir
  55. Bom, esta não é a história da família Guedes no Brasil, e sim parte dela, haja vista que os Guedes se espalharam Brasil a fora. Portanto, esta é a história da família Guedes em sua cidade e região.
    Também sou um Guedes, e minha família ascendente veio de Portugal e estabeleceu-se na Bahia, migrando posteriormente para Minas Gerais. Então, sou um Guedes mineiro..rs

    ResponderExcluir
  56. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  57. Igor, meu nome é Dirceu tenho 67 anos e sou neto de Odette Guedes Pinto de Cysneiros que casou com Nelson Gonçalves Ferreira, sua pesquisa contou para mim um pouco da história da família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dirceu meu primo, filho de Dirce e Renato. Por onde andas? Um abraco saudoso

      Excluir
  58. Estudo em Portugal um ramo da família Gudes descendente de José Filipe Teixeira Guedes que, vindo de Vila Pouca de Aguiar, casou em Minde em meados do século XVII.
    Dessa família, de apelido inicial Teixeira Guedes um membro, Alberto Guedes, veio a ser Gerente da 1ª delegação do já extinto Banco nacional Ultramarino que se fundou no Brasil, em 1913, no Rio de Janeiro. Alberto Guedes voltou para Portugal mas um seu filho, Afonso Monteiro Guedes emigrou para o Brasil em 1925 e ter-se-á fixado em S Paulo. Também , já antes talvez na primeira década do século XX Amândio Teixeira Guedes terá emigrado para o Brasil.
    Se estes nomes lhe dizem alguma coisa e o assunto lhe interessa entre em contacto comigo através do mail nogueiras41@gmail.com - sei muita história da família que gostaria de partilhar com alguém interessado.

    ResponderExcluir
  59. Me chamo Maria Petrucia Guede.
    Tenho Guede por parte da minha mãe Maria Cicera Guedes tendo como avó materna Iraci Guedes Rodrigues e bisa materna Maria Guedes Da Silva mas conhecida como Maria Anunciada casada com Manoel Marques somos todos Guedes de Pernambuco. sou da cidade de Gararanhuns nasci là mas meus avós e bisavós são do município de Brejão PE.
    Gostaria de saber o paradeiro de 2 tios
    Inácio Guedes e Antônio Guedes filhos da minha bisa Maria Guedes Da Silva(Anunciada) eles seriam meus tios avôs ambos com mais de 60 anos

    ResponderExcluir
  60. Me chamo Maria Petrucia Guede.
    Tenho Guede por parte da minha mãe Maria Cicera Guedes tendo como avó materna Iraci Guedes Rodrigues e bisa materna Maria Guedes Da Silva mas conhecida como Maria Anunciada casada com Manoel Marques somos todos Guedes de Pernambuco. sou da cidade de Gararanhuns nasci là mas meus avós e bisavós são do município de Brejão PE.
    Gostaria de saber o paradeiro de 2 tios
    Inácio Guedes e Antônio Guedes filhos da minha bisa Maria Guedes Da Silva(Anunciada) eles seriam meus tios avôs ambos com mais de 60 anos

    ResponderExcluir
  61. Parabéns por essa pesquisa maravilhosa, sou de Cisneiros neta da saudosa Maria Camilo, uma das parteiras da cidade, tive como professora uma Pinto Guedes ,não me lembro bem se era Tereza ou Maria, mas fiquei aqui sonhando que em 1953 meu pai nasceu na cidade e um grande amigo de nossa família era o Domingo Guedes que auxiliou minha mãe no nascimento de meu irmão em 1975.Gostaria muito de saber mais sobre a minha árvore genealógica e de meus avós.
    Parabéns. Meu Nome é Vânea Lúcia Cristino Simões nascida em 17/04/1977 em Cisneiros dentro do carro do meu padrinho Lindinho Titoneli.

    ResponderExcluir
  62. olá boa tarde meu nome lúcio rangel guedes de oliveira sou neto de joão Batista guedes,nascido em campina grande -PB.veio ao 9 de idades por causa briga de terra em 1932 da paraíba. o meu andou pelo brasil todo,pelos meador dos 1945 período da segunda mundial ,veio pra região amozônia como soldado da borracha,por fim acabou ficando aqui teve familiar.os seu pais são otirlha pereira guedes e joão pereira guedes. ele tem vários irmãos em campina grande.E po volta do ano 1975,quando foi fazer um tratamento de cancer em brasilia ,descobria que uns seu irmão morava na capital .Depois de dois mês na uti podfe ver seu irmao ,que saiu de campina grande pode mata á saudade dele. mais seu irmao|(josé batista guedes) tinha feito á mesma coisa.o josé faziais de 30 anos que não tinha contato com algues sua familia.Se Alguem poder me ajuda nesta procura de familares avô e tio eu agradeço.
    mae otilha pereira guedes
    pai joao batista guedes
    irmao Raimunda pereira guedes ,josé pereira guedes , otilha pereira guedes,Francisca pereira guedes e Raimundo pereira guedes.
    eu mora em porto velho-ro
    contato:
    Email:luciorangel9@gmail.com

    ResponderExcluir
  63. Bom dia mais guedes se apresentando para tentar ajudar o perante de sobrenome as suas pesqusas sobre a família GUEDES.Sou do Rio de Janeiro filho de Marina guedes da silva e Newton guedes da silva,neto paterno de Mário guedes dias. Que pelo pouco que sei ele era do Sul de Minas. Espero que estas informações ajude um pouco mais. Um grande abraço de seu distante parente. OBS.esqueci de mencionar, também sou da parte negra.

    ResponderExcluir
  64. Igor: desde março de 2011, quando fiz contato com vc por conta da pesquisa sobre a família da esposa de Jasiel, não fiz mais progressos. Agora, entretanto, recebi msg de um seguidor do meu blog que faz a seguinte afirmação: José da Costa Matos seria filho do português João da Costa Matos e de Leopoldina, filha de Antonio Ferreira Martins, grande proprietário em Maripá de Minas. João teria sido empregado do sogro. Outra coisa: não achei o batismo do Jasiel em Leopoldina. Vc pode, por favor, confirmar a data de nascimento dele? Obrigada,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complementando, Igor, meu blog continua em http://cantoni.pro.br/blog/. O site está parado.

      Excluir
  65. Muitos parabéns pelo sua pesquisa, ainda me aguçou mais o apetite de ir em busca das origens dos Guedes. Sou também da origem da família Guedes, Meu Bisavô: Joaquim Pinto Fontes Guedes _ Vila Da Feira_Vila Nova De Gaia (Porto) Portugal, minha Bisavó: Gracinda de Couto Guedes _Crestuma Vila Nova Gaia (Porto) Portugal, tiveram meu avô José Pinto Fontes Guedes e daí em diante segue a geração mais recente até mim e restantes familiares. Segundo as histórias de minha avó vai ao encontro um pouco alguns dos teus relatos, a família Guedes da zona do Douro(Porto) tinha posses naquelas alturas, assim como lendo os comentários e relatos com ligação aos Guedes do azeite galo, assim como meu pai fala acerca de a família Guedes estar também ligada a família Vasconcelos. Alguma informação que eu possa te ajudar nessa pesquisa Facebook: Gued Tany Abraço

    ResponderExcluir